segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Couscous com camarão e ovo


Dias corridos são dias em que o tempo parece andar bem mais rápido que nós. E nesses dias a vontade de cozinhar geralmente fica perdida também no tempo e acabamos muitas vezes com um arroz e ovos mexidos, umas sandes ou mesmo umas batatas fritas com bife. Coisas simples, não é?
A minha sugestão de hoje surgiu num desses dias corridos mas em que não me apetecia cozinhar, sujar a cozinha, esperar para comer, enfim ... não me apetecia nada. E como nessas alturas acabo sempre por recorrer aos meus salvadores couscous, assim surgiu uma refeição que me soube muito bem, ficou pronta em cerca de 15 minutos e pouca louça sujou. Refeição perfeita para levar na marmita, espero que gostem.


Ingredientes:
- couscous
- ovos
- camarão 
- pimento vermelho em pequenos cubos
- salsa e hortelã fresca
- delícias do mar
- cenoura raspada
- cebola picada
- sumo de limão
- 1 fio de azeite
- sal e pimenta cayenne (ou outro picante a gosto)

Comece por descascar o camarão e cortar em pedaços (pode usar miolo para facilitar). Tempere com sumo de limão, sal e pimenta cayenne. Reserve uns minutos.
Aqueça uma medida e meia de água. Quando estiver bem quente, junte uma medida de couscous e uma pitada de sal fino. Mexa com um garfo, tape e deixe repousar cerca de 5 minutos. Nessa altura, junte-lhes sumo de limão, as ervas aromáticas picadas e as delícias do mar em rodelas finas.
Entretanto, leve ao lume uma frigideira com um fio de azeite e cozinhe os camarões até adquirirem um tom dourado. Retire do lume e junte aos couscous. Na mesma frigideira refogue a cebola, o pimento e a cenoura num fio de azeite até os legumes ficarem macios. Acrescente os ovos batidos, tempere com uma pitada de sal e mexa até obter ovos mexidos. Junte aos couscous, envolva bem e sirva de seguida.


sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Bolo Kiev ... um bolo delicioso da Ucrânia


Chegamos ao fim-de-semana e é impressão minha ou esta semana passou a correr? Mas não faz mal porque assim chegou mais rapidamente o dia permitido para comer (enfardar mesmo) os doces. E desta vez o que vos trago chamamos cá em casa de bomba calórica e foi feito para a nossa passagem de ano. Foi tal o seu sucesso que desapareceu muito rápido. Estou a falar-vos de um bolo vindo da Ucrânia, mais concretamente da capital Kiev, um bolo que o meu irmão comeu numa das suas últimas viagens e só conseguir tecer elogios positivos.
Por isso, não tardou a ter de o fazer e depois de muita pesquisa, acabamos por recorrer a um misto de receitas e trazer a nossa versão, aprovada por ele depois de provar.



Resultado de imagem para kiev cake roshen factory
As latas onde é colocado o bolo ... imagem retirada da net 

Mas para quem não conhece, o Bolo Kiev tem a sua origem em 1956 e é um dos principais orgulhos da confeitaria da capital ucraniana, sendo comum oferecer uma caixa de metal com um bolo kiev lá dentro, algo que todos adoram.
Segundo reza a história, 2 trabalhadores da confeitaria Karl Marx (agora conhecida por Roshen) utilizaram uma grande quantidade de claras para um merengue mas esqueceram-se de o refrigerar. No dia seguinte, o seu chefe K. Petrenko encontrou o tal preparado esquecido e com uma consistência totalmente diferente, bem seca. Nessa altura, para evitar que a administração descobrisse o erro, resolveu criar um novo bolo, juntando um creme e mais uns quantos ingredientes. Tal foi o sucesso desse pequeno erro que levou este bolo a uma fama mundial. 

E se de um erro surgiu este bolo, o que posso dizer é que abençoado seja ele porque nos deu a conhecer um bolo composto por camadas de suspiro (com nozes, cajús ou avelãs, sendo esta última a mais comum nos dias de hoje), creme de manteiga e cacau. Um bolo com uma textura completamente diferente mas tão viciante. Não acreditam? Embarquem nesta viagem gastronómica comigo e digam-me depois se não tenho razão.





Ingredientes para a massa:
- 200g de claras (cerca de 5 claras de ovo médio)
- 45g de farinha de trigo (usei com fermento)
- 150g de açúcar + 50g de açúcar
- 150g de avelãs

Comece por torrar as avelãs. Depois de frias, pique-as ligeiramente (convém que fiquem em pedaços pequenos e não em farinha). Reserve um pouco (cerca de 1 colher de sopa cheia).
Forre 2 formas de 21cm com papel vegetal. Pré-aqueça o forno a 150ºC.
Numa taça misture as restantes avelãs com a farinha e as 50g de açúcar.
Bata as claras em castelo firme e sempre a bater, junte aos poucos o restante açúcar até obter um merengue firme. Envolva com uma espátula o merengue nos ingredientes secos, com cuidado. Verta para as formas, alise e leve ao forno durante 2 horas (este passo é importante, não acelere o processo). Passado este tempo, retire do forno e deixe arrefecer ligeiramente. depois desenforme e deixe que arrefeça por completo à temperatura ambiente numa grelha.

Ingredientes para o creme:
- 200g de manteiga à temperatura ambiente (não é margarina)
- 150ml de leite
- 2 ovos batidos
- 90g de açúcar
- 1 colher (chá) de aroma de baunilha
- 2 colheres (sopa) de rum 
- 1 colher (sopa) de cacau em pó
- 1 colher (sopa) de nutella 

Leve ao lume o leite com os ovos e o açúcar durante 10 a 15 minutos, mexendo sempre até engrossar ligeiramente. Junte a baunilha e deixe arrefecer por completo, cubrindo a superfície com película aderente.
Bata a manteiga com a batedeira até que fique cremosa. Sempre a bater, junte o creme frio aos poucos até obter um creme fofo. Por fim, acrescente o rum e envolva bem.
Divida o creme em duas partes iguais e a uma delas junte o cacau em pó e a nutella.

Montagem:
Com uma faca alise a superfície dos bolos e depois esmague esse excedente com as mãos. Misture essas migalhas com as avelãs picadas que reservou no início.
Num prato de servir coloque o primeiro disco de massa, cubra com o creme branco, alisando bem. Coloque o segundo disco de massa e cubra todo o bolo com o creme de chocolate. Com cuidado, espalhe nas laterais a mistura de migalhas e avelãs. Decore a gosto.


quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Angel cake de limão com creme de morango


Hoje é dia de S.Valentim, dia que nunca engracei já que todos os dias devem ser dia dos namorados e não apenas um dia por ano onde o apelo ao consumo é exagerado. No entanto, como todas as épocas festivas são um pretexto para mais um bolo, assim surgiu este que fez as delícias de todos os que o provaram e deu-me a conhecer finalmente o famoso creme de corneto de morango que tanto se fala e vê pela blogosfera. Embora não tenha achado o sabor a corneto, este bolo improvisado com o que havia por cá ficou muito bom e fofo, espero que experimentem e aceitem uma fatia generosa.




Ingredientes para o bolo:
- 8 claras
- 120g de açúcar 
- 120g de farinha com fermento
- raspa fina de 1 limão
- 50ml de leite

Ingredientes para a compota (pode usar de compra para facilitar):
- 100g de frutos silvestres
- 2 colheres (sopa) de açúcar

Ingredientes para o creme:
- 1 embalagem de gelatina de morango
- 200ml de natas


Comece por preparar o bolo. Ligue o forno a 180º.
Bata as claras em castelo e quando estiverem volumosas, junte o açúcar aos poucos até obter picos firmes. Sem parar de bater, junte o leite e a raspa de limão. Envolva delicadamente com uma espátula a farinha e verta a mistura para uma forma de buraco previamente untada levemente com óleo (eu costumo humedecer uma folha de papel absorvente e passar sobre a forma). Leve a assar a 180º, até dourar e o teste do palito sair seco (cerca de 35 minutos).
Retire a forma do forno, vire ao contrário e deixe arrefecer sobre uma grelha, sem desenformar. Quando estiver frio, passe uma faca pela lateral da forma e desenforme (dê umas pancadinhas na forma até que este se descole). Reserve.

Para a compota, leve todos os ingredientes ao lume e deixe cozinhar até que os frutos se desfaçam e o líquido espesse. Deixe arrefecer por completo.

Para o creme, ferva 45ml de água. Quando estiver a ferver, misture o pó da gelatina até se dissolver e depois acrescente mais 45ml de água fria. Bata as natas até espessarem e depois junte em fio a gelatina, batendo sempre. Leve uns minutos ao frigorífico para endurecer um pouco.

Montagem:
Corte o bolo ao meio. Coloque a primeira metade do bolo num prato de servir, regue com um pouco de leite morno e cubra generosamente com a compota. Por cima desta, coloque um pouco do creme e depois a segunda metade do bolo. Volte a regar com o leite e cubra com o restante creme. Decore a gosto (eu usei chocolate e suspiros).


segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Arroz pulau ... um arroz de aroma indiano


Vamos viajar novamente? 
Desta vez vou levar-vos até à terra longínqua da Índia. Confesso que é um país que nunca me fascinou conhecer fisicamente. Aliás, acredito que nunca lá vá porque é preciso preparação emocional que sinceramente eu não tenho. O choque cultural, a pobreza, os costumes, são tudo factores que não me fazem querer conhecer este país. No entanto, isso não implica que goste de experimentar a sua gastronomia e aí sim, gosto bastante do país e de todos os aromas sentidos em cada prato.
Por essa razão, quando vi este arroz indiano no blogue "Cozinha 100 segredos", fiquei muito curiosa e cheia de vontade de experimentar, estando apenas reticente porque um membro cá de casa não é fã destes aromas. Resultado, saiu um arroz cheio de sabor, onde as especiarias ganham força e que gostamos cá em casa (excepto um mas que já era esperado, comendo na mesma). 
Se gostam de sabores diferentes e de especiarias, não deixem de experimentar este prato. No meu caso, foi o acompanhamento de uns pastéis de legumes (receita aqui) em mais uma meat free monday.
  

Ingredientes:
- arroz basmati (não tinha e usei agulha
- água quente
- uma mão cheia de ervilhas
- 1/2 cebola picada
- 2 dentes de alho picados
- 1 cenoura raspada 
- 1/4 de pimento vermelho em cubos pequenos
- 1/4 de pimento verde em cubos pequenos
- 1 folha de louro
- 1 colher de café de cominhos (mal cheia)
- 1 colher de café de açafrão (mal cheia)
- 1 colher de café de paprika (mal cheia)
- 1/3 colher de café de canela 
- sal
- um fio de azeite
- salsa fresca picada

Método tradicional:
Num tacho colocar o azeite e saltear ligeiramente os legumes (excepto as ervilhas). Juntar o arroz, as especiarias, as ervilhas e o louro, saltear mais alguns segundos. Por fim temperar de sal, juntar a água a ferver (2 medidas em relação ao arroz), mexer e deixar cozinhar, tapando o tacho. Mexer de vez em quando para não pegar. Quando toda a água tiver sido absorvida, retirar do lume e manter tapado por mais alguns minutos. Polvilhar com a salsa picada e servir de seguida.

Método robot de cozinha (Yammi):
Coloque na cuba a cebola, o alho, o pimento, o louro, a cenoura e um fio de azeite. Programe 5 minutos na velocidade 1, temperatura ST (máximo). Misture as especiarias com 950ml de água. Coloque o arroz no cesto, uma pitada de sal, as ervilhas e o refogado de legumes. Coloque o cesto no copo, verta depois a água aromatizada e programe 15 minutos, velocidade 3, temperatura 100ºC. Depois de pronto, mexa com um garfo, polvilhe com a salsa picada e sirva de seguida.


sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Bolo aranha ... um bolo fofo de natas e chocolate


Hoje trago-vos uma receita da minha infância. Sabem aquele bolo que é quase sempre presença nas mesas festivas, nas sobremesas em família e em todos os momentos importantes? Aquele bolo que se compra sempre no mesmo sítio e que por morarmos um pouco longe, pedimos a quem mora mais perto para comprar por nós na sua próxima visita? Bem, cá em casa esse bolo era o "bolo aranha" da confeitaria Nobreza, no Porto. Era um dos nossos bolos preferidos pela sua simplicidade, fofura e humidade, um bolo que nada tinha de enjoativo e que geralmente todos adoram. No entanto, a confeitaria mudou de donos e consequentemente de qualidade, a procura por este bolo noutros pontos de venda não satisfez os nossos padrões e por isso, lá vamos nós para a cozinha tentar reproduzir o nosso bolo de todas as ocasiões.
Embora ainda não tenhamos conseguido reproduzir fielmente a dita receita, posso dizer que anda muito perto do original e assim continuamos a sorrir sempre que comemos uma fatia generosa deste bolo. Espero que gostem desta minha sugestão e experimentem um dia, quem sabe já este fim-de-semana.



 

Ingredientes:
- 6 ovos
- 200g de açúcar
- 110g de farinha
- 60g de fécula de batata
- 1 colher (chá) de fermento em pó
- 1 lata de refrigerante de ananás - tipo sumol (para um bolo bem húmido uso 1 e 1/2 lata) 

- 1 pacote de natas (bem frescas)
- 2 colheres (sopa) de açúcar
- 100g de chocolate de culinária + 2 a 3 colheres (sopa) de leite
- 50g de chocolate branco

Bata as gemas com o açúcar até ficar um creme muito fofo. Junte 3 colheres (sopa) de refrigerante e bata mais um pouco, Junte a farinha, fécula e fermento, batendo na velocidade baixa.
À parte, bata as claras em castelo e envolva delicadamente na massa. Leve a cozer numa forma redonda untada e polvilhada (usei de 23cm) até o teste do palito sair limpo. Desenforme e deixe arrefecer.

Para a cobertura e recheio:
Bata as natas com o açúcar até obter um chantilly firme.
Parta o chocolate de culinária em pedaços pequenos, junte o leite e leve a derreter no microondas cerca de 1 minuto. Retire e mexa bem. Se ainda não ficar completamente derretido, coloque mais uns segundos no microondas.
Para o chocolate branco, parta-o em pedaços e leve ao microondas cerca de 20 a 30 segundos, mexendo bem até derreter.

Montagem:
Corte o bolo ao meio de forma a obter dois círculos. Coloque uma parte da massa num prato de servir, regue com metade do refrigerante, barre generosamente com o chantilly, depois coloque a segunda parte do bolo, volte a regar com o restante refrigerante e cubra o bolo com o chocolate de culinária derretido. Por fim, coloque o chocolate branco num saco de pasteleiro com um bico fino (ou numa saca plástica, cortando a ponta) e decore o bolo fazendo uma espiral do centro até ás bordas do bolo. Depois com um palito faça riscos primeiro do centro para fora e depois nos intervalos desses mesmos riscos, faça novamente riscos mas no sentido contrário (das bordas para o centro). Vai obter assim uma teia de aranha. Sirva bem fresco.


quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Feijoada de feijão preto com chouriço e bacon


Com a vaga de frio que se tem vindo a sentir nos últimos dias, são as refeições chamadas "de conforto" que me deixam mais feliz. Por isso, nada melhor que uma feijoada bem simples para me encher as medidas. Fã de leguminosas que sou, desta vez optei pelo meu feijão preferido e só posso dizer que ficou uma delícia, espero que gostem ...


Ingredientes:
- 1 lata de feijão preto cozido (lata grande)
- 1 cenoura média
- 2 dentes de alho
- 1 cebola
- 1 chouriço de carne
- 150g de bacon
- 30ml de vinho branco (2 colheres de sopa)
- 3 colheres de sopa de polpa de tomate 
- azeite qb
- sal, pimenta, colorau e cominhos qb

Comece por cortar a cenoura e o chouriço em rodelas finas, o bacon em tiras, pique a cebola e o alho. 
Leve ao lume um tacho com a cebola, o alho e um fio de azeite. Deixe refogar a cebola até que esta ganhe uma ligeira tonalidade e fique macia. Acrescente então a cenoura, o chouriço e o bacon e deixe refogar um pouco. Regue com o vinho, junte a polpa de tomate, a pimenta, o colorau e os cominhos. Deixe refogar mais um pouco e mexa de vez em quando. De seguida acrescente um pouco de água (o suficiente para cobrir o preparado) e deixe refogar cerca de 20 minutos (ou até a cenoura estar cozida). Após esse tempo, junte o feijão (com a água da lata) e deixe cozinhar mais um pouco para apurar. Rectifique os temperos e sirva ainda quente, acompanhando com arroz branco se quiser.


terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Almôndegas de carne orientais


Existem pratos que nos acompanham desde sempre, sabores que aprendemos a conhecer ao mesmo tempo que aprendemos a falar, a andar, a escrever, ... sabores que nem nos recordamos do momento em que fomos apresentados dado serem tão antigos na nossa memória. E depois temos receitas em que nos lembramos perfeitamente da sua origem e que desde a descoberta passaram a fazer parte da nossa vida. 
A receita que vos trago hoje é uma dessas últimas, uma receita de um recorte de uma revista Maria, talvez com tantos anos como eu. Uma receita que a minha mãe faz até hoje, onde se respeitam ao rigor as quantidades (algo raro nos salgados cá de casa) e que nos sabe sempre ao mesmo. Falo-vos de umas almôndegas com um toque de especiarias delicioso, as minhas almôndegas preferidas e que sempre que se fazem cá em casa, não sobra nada na travessa. Espero que as apreciem tanto como nós e quem sabe as experimentem em breve, não se irão arrepender.



Para as almôndegas:
- 600g de carne de vitela picada
- 2 dentes de alho
- 1 dl de vinho branco
- 1 colher (sopa) de mostarda
- sal e pimenta qb
- 1 ovo médio
- farinha de trigo qb

Para o molho:
- 2 cebolas picadas (médias)
- 1/2 chávena de polpa de tomate (125ml)
- 1 colher (sobremesa) de cominhos
- 1 colher (sopa) de açafrão
- 1 colher (chá) de colorau
- 1 colher (sopa) de margarina
- 1 cubo de caldo de carne
- 2 cascas de limão

Comece por preparar as almôndegas. Misture a carne com o vinho, a mostarda, o ovo, os dentes de alho bem picados, sal e pimenta. Depois de tudo bem envolvido, forme bolinhas e passe-as por farinha. Reserve.
Coloque todas as especiarias do molho numa tigela e junte um pouco de água. Mexa e deixe repousar um pouco.
Leve ao lume um tacho largo (de preferência anti-aderente) com a margarina e refogue a cebola. Quando esta ficar transparente, acrescente as almôndegas e deixe cozinhar ligeiramente, mexendo para não pegarem. Acrescente a mistura de especiarias, a polpa de tomate, o cubo de caldo de carne ligeiramente desfeito e as cascas de limão. Cubra as almôndegas com água e deixe cozinhar, mexendo de vez em quando para que as almôndegas  cozinhem por igual. Rectifique os temperos se necessário e sirva de seguida, polvilhando com salsa picada. Acompanhe com arroz branco e salada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...