quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Medovik ... um bolo de mel russo


Sabem aqueles bolos que se olham e fica a vontade de experimentar ... mas depois espreitamos a lista de ingredientes e ficamos com a certeza que não vale a pena testar. Este foi um desses bolos quando vi que era o desafio da 12ª edição do Sweet World. A Lia apresentou-nos um bolo com aspecto exemplar mas que continha ingredientes não muito bem aceites cá em casa, por isso fiquei logo a pensar que não o poderia fazer e esta seria a minha primeira vez sem participar. Estou a falar do Medovik, um bolo de mel de origem russa com mais de 200 anos (é mesmo velhinho).

Pelo que percebi, o Medovik foi criado em 1820 pelo chef privado do czar Alexandre I para a sua esposa, a imperatriz Elisabeth (que detestava mel). Este ousado chef resolveu ir contra todos e serviu este bolo à imperatriz, que logo adorou e quis saber quais os ingredientes que tal bolo continha. Com medo e já contando com um severo castigo, este jovem chef não conseguiu mentir e lá falou que o ingrediente principal era o mel. Ao contrário do esperado por todos, o chef foi premiado e o seu bolo é feito até aos dias de hoje. 



E se a imperatriz Elisabeth não gostava de mel, também eu não sou a sua maior fã mas confesso que neste bolo gostei bastante e sem dúvida que é um ingrediente crucial para o seu sucesso. Depois de pesquisar muito sobre a receita deste bolo não consegui perceber ao certo qual seria a receita original (apenas que levava bastante manteiga) e por isso optei por retirar um pouco daqui e dali, fazendo assim a minha versão deste tão afamado bolo por terras frias do czar (mas mais ao gosto cá de casa). Quanto ao bolo em si, embora pareça complicado, não o é e faz-se rapidamente. Não é nada enjoativo e o meu único conselho é que o façam no dia anterior e o mantenham no frio até à hora de servir, garanto que fica melhor a cada dia que passa. E assim passou mais uma edição deste desafio que completa 12 meses e eu me confesso uma Sweet lover, não consigo mesmo resistir :)


Ingredientes para o caramelo:
- 1/2 chávena de açúcar
- 1/3 chávena de leite magro
- 1 colher (sobremesa) de manteiga magra

Ingredientes para o creme:
- 450ml de leite magro
- 2 ovos
- 5 colheres (sopa) de açúcar
- 2 colheres (sopa) de amido de milho cheias
- o caramelo preparado (usei apenas 2/3 da quantidade)

Comece por preparar o caramelo. Leve ao lume o açúcar até dourar (cuidado para que não queime). Quando atingir um dourado intenso, retire do lume e misture a manteiga até derreter. Acrescente aos poucos o leite, mexendo sempre com cuidado para não se queimar. Quando estiver bem misturado, leve novamente ao lume para engrossar um pouco, mexendo sempre. Deixe arrefecer.
De seguida, prepare o creme. Misture os ovos com o açúcar, o amido de milho e um pouco de leite. Aqueça o restante leite e misture-o aos poucos no preparado de ovos. Leve ao lume, mexendo sempre até engrossar. Retire do lume, cubra a superfície do creme com película aderente e deixe arrefecer. 
Quando estiver frio, misture aos poucos o molho de caramelo até obter um sabor que lhe agrade (eu utilizei apenas 2/3 do caramelo).


Ingredientes para o bolo:
- 250g de farinha
- 50g de manteiga magra
- 2 ovos
- 100g de açúcar
- 1 colher (sopa) de bicarbonato de sódio
- 2 colheres (sopa) de mel
- nozes qb

Derreta a manteiga com o mel no microondas. Junte os ovos, o açúcar, a farinha e o bicarbonato de sódio. Mexa bem com uma colher até obter um preparado homogéneo. Coloque a massa sobre uma superfície lisa e amasse mais um pouco até que se descole das mãos (se necessário, junte mais farinha). Corte em 6 pedaços iguais e estique-os, dando a forma de círculo ou rectângulo. Corte-os todos iguais e leve a assar em forno pré-aquecido a 180º, durante cerca de 5 minutos ou até a superfície dourar. Retire do forno e deixe arrefecer por completo. 
Coza também os restos da massa e depois de frios, triture-os numa picadora.

Montagem: 
Coloque uma camada de bolo num prato de servir, barre com um pouco de creme, coloque mais uma camada de bolo, novamente creme e assim sucessivamente, terminando com o creme. Barre também as laterais do bolo e polvilhe todo o bolo com as migalhas de bolo que sobraram. Decore com nozes partidas e guarde no frigorífico até à hora de servir. Aconselho a fazer o bolo de véspera para que os sabores fiquem mais intensos.

12º edição do desafio Sweet World, dos blogs Lemon & Vanilla e Basta Cheio - "Medovik"

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Macarronete de azeitona à portuguesa


Lembram-se de no post anterior eu ter falado do presente que a Milaneza gentilmente me enviou? A verdade é que com um leque de massas à escolha, logo fomos testar uma massa ao almoço (era mesmo inevitável, não acham?). E a escolha recaiu pelo macarronete de azeitona, uma massa que ainda não tinha experimentado mas que gostei bastante pelo seu sabor suave mas perceptível a azeitona. E como tinha ainda umas sobras de carnes de um cozido à portuguesa, surgiu assim uma massa com um gostinho bem especial e além disso, de aproveitamentos (que hoje em dia se tornaram tão importantes para a gestão do orçamento familiar). Um prato bem reconfortante para estes dias frios e com um sabor delicioso, espero que gostem tanto como nós aqui em casa :)


Ingredientes:
- massa macarronete de azeitona Milaneza qb
- carne de vaca e enchidos cozidos qb*
- cebola picada
- alho picado
- vinho branco
- polpa de tomate
- sal e pimenta qb
- 1 fio de azeite

Comece por cozer a massa consoante as instruções da embalagem, escorra e reserve.
Enquanto a massa coze, leve ao lume um tacho com um fio pequeno de azeite, alho picado e cebola picada. Quando esta amolecer, junte a carne e os enchidos em cubos, um pouco de vinho (pouco) e um pouco de polpa de tomate. Deixe estufar um pouco, acrescentando um pouco de água da cozedura do macarrão. Rectifique os temperos e acrescente a massa cozida, envolva bem e sirva de seguida.

* Pode utilizar outras carnes cozinhadas que lhe tenham sobrado de outras refeições. Caso não tenha sobras, pode juntar a carne e os enchidos (em crú) como manda a receita e deixar estufar até estarem tenros. Nesse caso, depois de refogar a cebola, acrescente a carne e enchidos, o vinho, a polpa de tomate e tempere a gosto. Envolva até a carne começar a ganhar cor e acrescente água até cobrir a carne. Deixe estufar até ficar tenra e envolva a massa. Sirva de seguida. 


segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Agradecimento ... Milaneza


Hoje acordei com a campainha a tocar ... quem era, quem? 
O sr carteiro, para me trazer uma encomenda.

Ao abrir a caixa, deparei-me com muitas massas deliciosas, gentilmente enviadas pela Milaneza por ter sido uma das vencedoras do passatempo "Crie a aletria mais original" com a receita de "Aletria com molho de frutos silvestres"  


MUITO OBRIGADO Milaneza pelo presente, adorámos cá em casa e vamos já experimentar uma agora ao almoço!!!

 :) :) :)

Queques de beterraba e baunilha saudáveis (sem adição de açúcar)


Um dos meus lemas este ano é tentar não deixar para a próxima semana o que se pode fazer nesta. E com isto quero dizer que quando vejo uma receita que me suscita interesse, o melhor é fazer o mais rápido possível. De certeza que vocês têm listas de receitas intermináveis para fazer, que se vão guardando com o intuito de fazer a seguir mas que acabam por entrar no esquecimento. Eu era assim e com o início do ano reparei que a lista era tão grande que até já estava dividida entre doces e salgados. Com tantas receitas para fazer e muitas outras que virão no futuro, cheguei à conclusão que ou fazia um menu de degustação todos os dias, ou nunca conseguiria experimentar tudo o que tinha guardado. Por isso, tomei a decisão de começar do zero e apagar tudo. Tal como se costuma dizer, ano novo vida nova, ou neste caso, receita nova e por isso, tentarei não guardar tantas receitas este ano e fazê-las o mais rápido possível.    
Todo este chato discurso para dizer que quando vi uns queques de beterraba no  blog "O meu tempero", queques esses que tinham a particularidade de não levarem açúcar, fiquei curiosa e resolvi experimentar já no fim-de-semana. O resultado foram uns bolinhos fofos, com um ligeiro sabor a beterraba, doces o suficiente para se matar a gula e bem rápidos de se fazer. Aprovados por quem não aprecia beterraba cá em casa, são a minha sugestão saudável para o início desta semana.


Ingredientes:
- 1 beterraba média cozida (ou cenoura se não gostar de beterraba)
- 1 mão cheia de uvas passas
- 2 colheres (sopa) de mel
- 1 colher (sopa) de óleo
- 1 ovo
- 100g de farinha de trigo com fermento
- 1 colher (chá) de aroma de baunilha (ou raspa de laranja)
- amêndoas laminadas qb (levemente tostadas)

Coloque na cuba da Yammi a beterraba, as uvas passas, o mel e o óleo, triture 20 segundos na velocidade 7. Acrescente o ovo, a farinha e o aroma de baunilha. Triture mais 15 segundos, velocidade 6. Verta o preparado para forminhas de papel colocadas dentro de forminhas de alumínio. Polvilhe com as amêndoas laminadas e leve ao forno, pré-aquecido a 180º, durante cerca de 20 minutos ou até o teste do palito sair seco. Desenforme e deixe arrefecer sobre uma grelha.

Se não tiver um robot de cozinha todo "xpto":
Coloque na liquidificadora a beterraba, as uvas passas, o mel e o óleo, triture até obter um puré. Acrescente o ovo, a farinha e o aroma de baunilha. Triture mais um pouco até ficar um creme homogéneo. Verta o preparado para forminhas de papel colocadas dentro de forminhas de alumínio. Polvilhe com as amêndoas laminadas e leve ao forno, pré-aquecido a 180º, durante cerca de 20 minutos ou até o teste do palito sair seco. Desenforme e deixe arrefecer sobre uma grelha.

domingo, 15 de janeiro de 2017

Um pensamento #1

Num mundo em que só se fala de guerra, atentados, violência de todos os géneros e feitios, precisamos parar e repensar o que realmente importa e tentar lutar por um mundo melhor. Um mundo onde se possa crescer e viver em paz, não apenas sobreviver. 
E se adoro a música "Imagine" de John Lennon, hoje apeteceu-me ouvir antes esta dos "Thirty Seconds to Mars", uma música e videoclip que adoro.  


sábado, 14 de janeiro de 2017

Tiras de pota com molho de whisky


Os dias têm passado a correr e o tempo parece que não estica. Tão depressa é Segunda como de repente já é Sábado, não entendo como o tempo corre em vez de caminhar. Mas isso não significa que não se coma cá por casa e, embora muitas vezes as receitas sejam as do costume ou sem graça, por vezes lá chega uma que merece destaque e a de hoje é uma delas.
Uma receita económica, rápida e saborosa para os dias corridos da semana ou para o descanso do fim-de-semana, espero que gostem!


Ingredientes:
- 500g de tiras de pota
- 1 lata de tomate pelado
- 2 colheres (sopa) de vinho branco
- 2 a 3 colheres (sopa) de whisky
- 1 cebola
- 2 dentes de alho
- 1 folha de louro
- sal e pimenta qb
- 100ml de leite
- 1 colher (sopa) de farinha de trigo
- azeite qb
- rodelas de chouriço qb
- sumo de 1 limão


Corte as tiras de pota em tiras mais pequenas, tempere com o sumo de limão. Leve ao lume um tacho com a cebola picada, o alho picado, o louro e um fio de azeite. Refogue até a cebola amolecer e acrescente as tiras de pota e o chouriço. Envolva bem e acrescente o vinho, o whisky, o tomate picado, e os temperos. Deixe refogar até as potas ficarem macias. Misture a farinha no leite e acrescente ao preparado. Rectifique os temperos e mexa até o molho engrossar um pouco. Sirva de seguida, acompanhado com arroz ou puré de batata.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Trifle de chocolate e frutos silvestres


Sabem aqueles dias em que temos de fazer uma sobremesa mas não sabemos bem o quê? E o pior, que temos pouco tempo para a fazer? Bem, este trifle surgiu num desses dias e acabou por ser o que eu chamaria de limpa congelador.
Tal como muitos de vocês devem também ter, eu tenho imensas claras no congelador resultado dos últimos doces desta época que passou e necessito de lhes dar um uso relativamente rápido (sim, porque são mais de 50, acreditem). Por isso, sobremesas com claras acabam por ser uma das minhas escolhas. Juntando mais uns quantos restos perdidos no congelador, sobras das festas que não se podiam estragar, surgiu esta sobremesa, espero que gostem :)


Ingredientes:
- restos de bolo de chocolate*
- ginginha qb
- 4 claras
- 1 embalagem de gelatina de frutos vermelhos light
- 200ml de natas + 2 colheres (sopa) de açúcar
- 200g de frutos silvestres ou framboesas congelados + 4 a 5 colheres (sopa) de açúcar
- coco ralado qb
 

Comece por preparar a gelatina. Leve ao lume 150ml de água e quando levantar fervura, retire do lume e misture o pó de gelatina até este se dissolver. Acrescente mais 150ml de água fria e reserve até ficar completamente frio.
Entretanto prepare a compota de frutos silvestres. Leve ao lume os frutos com o açúcar e deixe cozinhar até obter uma compota ligeira. Reserve.
Bata as natas em chantilly firme com as 2 colheres de açúcar e reserve.
Bata as claras em castelo bem firme e envolva delicadamente na gelatina reservada (já fria).

Montagem:
Numa taça grande ou em taças individuais coloque uma camada de preparado de gelatina, depois uma camada de bolo de chocolate levemente demolhado com a ginginha. Por cima deste, coloque uma parte da compota de frutos silvestres, depois o restante preparado de gelatina, a restante compota e por fim as natas em chantilly. Polvilhe com coco ralado e leve ao frigorífico até ficar bem fresco.


* se não tiver restos, pode fazer esta receita:
Bata 3 claras em castelo e vá juntando aos poucos 100g de açúcar até obter picos firmes. Sempre a bater, acrescente as gemas e 3 colheres (sopa) de leite. Por fim, envolva delicadamente 80g de farinha com fermento e 50g de cacau em pó. Leve ao forno numa forma untada e polvilhada, durante cerca de 20 minutos ou até o teste do palito sair seco. Desenforme e deixe arrefecer.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...